Plano da Disciplina

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E INFORMAÇÃO
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

Plano de Ensino Primeiro semestre de 2017

1 IDENTIFICAÇÃO
Disciplina: CIN7138 – Introdução à Ciência da Informação
Carga Horária: 72h/a. sem.– 4 h/a. semanais (36 horas aulas teóricas e 36 horas aulas práticas)
Oferta na 1ª fase: Cursos de Graduação em Arquivologia, Biblioteconomia , Ciência da Informação e Museologia.
Horário: 218h304 SALA CED 607
Professora: Dra Ursula Blattmann E-mail: rb.csfu|nnamttalb.alusru#rb.csfu|nnamttalb.alusru Estagiária Docente: Priscila Borges Sena e-mail: moc.liamg|csfu.anesalicsirp#moc.liamg|csfu.anesalicsirp

EMENTA: Busca identificar a perspectiva histórico/social da Ciência da Informação no mundo e no Brasil. Compreender os aportes teóricos e seus pioneiros. Inserção da Ciência da Informação nas Ciências Sociais Aplicadas segundo seu objeto de estudo, suas teorias e sua interdisciplinaridade.

2 OBJETIVOS
2.1 Geral: Compreender o contexto histórico/social do campo de estudo e de aplicação da Ciência da Informação (Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia).

2.2 Específicos:
2.2.1 Estudar as influências do contexto global e nacional nas áreas que fundamentam a Ciência da Informação;
2.2.2 Discutir seus aportes teóricos e seus pioneiros;
2.2.3 Identificar o campo de estudo e suas especificidades;
2.2.4 Caracterizar a sua função na sociedade da informação e do conhecimento;
2.2.5 Identificar o papel e a função dos profissionais da Ciência da Informação na sociedade;
2.2.6 Analisar produtos, serviços, ferramentas informacionais e tecnológicas.

3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

3.1 A informação
3.1.1 O contexto histórico, social e contemporâneo da informação e do conhecimento
3.1.2 A ciência na modernidade e pós-modernidade
3.1.3 Inter, Trans e Multidisciplinaridade
3.1.4 Uma ciência pós-moderna nas Ciências Sociais Aplicadas

3.2 Aspectos históricos
3.2.1 Ciências e técnicas que fundamentam a Ciência da Informação
3.2.2 Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e áreas afins
3.2.3 Teóricos e Pioneiros
3.2.4 A informação como eixo central

3.3 Aspectos Teóricos
3.3.1 Teoria Informacional da Comunicação e Recuperação da Informação
3.3.2 Teorias de Representações do conhecimento e seus Paradigmas
3.3.3 Teoria Sistêmica
3.3.4 Produção e Comunicação Científica
3.3.5 Estudo de Usuário
3.3.6 Gestão Documental

3.4 Processos
3.4.1 Fluxos, sistemas e redes
3.4.2 Sistemas de Comunicação
3.4.3 A tecnologia nas ações em Ciência da Informação
3.4.4 Serviços eletrônicos de informação

4 METODOLOGIA
Aulas expositivas, trabalhos em grupo e individuais, seminários e aulas práticas.

5 AVALIAÇÃO
Tipo de avaliação Peso

Atividades de estudos em equipes (participação em sala) 20%
Seminário (pioneiras e pioneiros da Ciência da Informação) 30%
Textos escritos: resumos, atividades de leituras e vídeos 10%
Participação ambiente internet (moodle, fórum, wikidot) 10%
Seminário (organização, redação e apresentação) SAC 30%
ATENÇÃO: Em caso de falta em dia de avaliação (seminário ou outras atividades), o aluno terá o prazo de três dias uteis para encaminhar, à Chefia do Departamento, a justificativa e a solicitação de nova data para realização da avaliação (Conforme Art. 74 da RESOLUÇÃO Nº 17/CUn/97, de 30 de setembro de 1997, que dispõe sobre o Regulamento dos Cursos de Graduação da UFSC.) A frequência mínima obrigatória é de 75% das aulas.

6 ATENDIMENTO AOS ALUNOS

- Quintas, das 10h às 12h, ou sexta-feira das 16h às 17h na sala 204 (bloco C) CED.
- Por e-mail: rb.csfu|nnamttalb.alusru#rb.csfu|nnamttalb.alusru
- Outros horários com agendamento.

7 BIBLIOGRAFIAS: serão utilizadas conforme previstas no programa da disciplina e acrescidas de acordo com a necessidade da turma.

ALVARES, Lillian; ARAÚJO JÚNIOR, Rogério Henrique de. Marcos históricos da Ciência da Informação: breve cronologia dos pioneiros, das obras clássicas e dos eventos fundamentais. TransInformação, Campinas, v. 22, n. 3, p. 195-205, set./dez., 2010. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/494>. Acesso em: 31 mar. 2016. ou http://www.scielo.br/pdf/tinf/v22n3/a01v22n3.pdf

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Condições Teóricas Para a Integração Epistemológica da Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia na Ciência da Informação. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v. 2, n. 2, p. 19-41, jul./dez. 2011. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/42349 > . Acesso em: 12 mar. 2016.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e Ciência da Informação. São Paulo: Briquet de Lemos, 2014. (6 exemplares na Biblioteca Setorial do CED:02 A663a)

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Correntes Teóricas da Ciência da Informação. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 38, n. 3, p. 192- 204, set/dez., 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652009000300013&lng=pt&tlng=pt > . Acesso em: 12 mar. 2016.

BARRETO, Aldo de Albuquerque. Uma história da ciência da informação. In. TOUTAIN, Lídia Maria Batista Brandão (Org.). Para entender a ciência da informação. Salvador: Edufba, 2007. p. 13-34. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/145/1/Para%20entender%20a%20ciencia%20da%20informacao.pdf >. Acesso em: 12 mar. 2016.

BLATTMANN, Ursula; FRAGOSO, Graça Maria. O zapear a informação em bibliotecas e na internet. Belo Horizonte: Autentica, 2003. (8 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 025.5 Z35 )

BORKO, Harold. Information science: what is it? American Documentation, v.19, n. 1, p. 3-5, 1968, Disponível em: <http://cdigital.uv.mx/bitstream/123456789/6699/2/Borko.pdf >. Texto com tradução livre disponível em: <http://disciplinas.stoa.usp.br/pluginfile.php/164799/mod_resource/content/1/BORKO_Information%20science%20what%20is%20it%20.pdf >. Acesso em: 18 fev. 2016.

BRAGA, Gilda Maria; PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro (Org.). Desafios do impresso ao digital: questões contemporâneas de informação e conhecimento. Brasília: UNESCO/IBICT, 2009. 428 p. Disponível em: < http://livroaberto.ibict.br/handle/1/761 >. Acesso em 15 mar. 2016.

BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia. Livro Branco da Ciência, Tecnologia e Inovação. Brasília, 2002. 80 p. Disponível em:< http://www.cgee.org.br/arquivos/livro_branco_cti.pdf >. Acesso em: 12 mar. 2016.

BUSCH, Vannevar. As we may think. Atlantic Monthly, v.176, 1, p.101-108, 1945. Disponível em: < http://www.theatlantic.com/magazine/archive/1945/07/as-we-may-think/303881/>. Texto com tradução livre disponível em: < http://www.uff.br/ppgci/editais/bushmaythink.pdf >.

CARDOSO, Ana Maria Pereira. Educação para a informação: desafios contemporâneos para a ciência da informação. Datagramazero: revista de ciência da informação, v. 3, n. 5, out. 2002. Disponível em: < http://www.dgz.org.br/out02/Art_06.htm >. Acesso em: 11 fev. 2015.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. v.1. (8 exemplares na Biblioteca Central e na Setorial do CED: 659.2 C348s).

LE COADIC, Yves Francois. A ciência da informação. 2. ed. rev. atual. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2004. (25 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 02 L433c)

LE COADIC, Yves. A matemática da informação. In: TOUTAIN, Lídia (Org). Para entender a ciência da informação. Salvador: Edufba, 2007, p. 219-238. Disponível em: < https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/145/1/Para%20entender%20a%20ciencia%20da%20informacao.pdf >. Acesso em : 12 mar. 2016.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia R. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2008. (7 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 030.2:02 C972d).

CUNHA, Murilo Bastos da; AMARAL, Sueli Angélica do; DANTAS, Edmundo Brandão. Manual de estudo de usuários da informação. São Paulo: Atlas, 2015. 448 p. (7 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 02:001.8 C972m).

FONSECA, Maria Odila. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: FGV, 2005. (7 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 025.171 F676a )

FREIRE, Isa Maria. Historiografia da ciência no Brasil: os caminhos da Ciência da Informação. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2004. 30 slides. Disponível em: < http://slideplayer.com.br/slide/283625/ > . Acesso em 12 mar. 2016.

GLEICK, James. A informação: uma história, uma teoria, uma enxurrada. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. 521 p. ISBN 9788535922660. ( Número de chamada: 02 G556i 5 exemplares BSCED - https://issuu.com/joseinacio6/docs/a_informacao_-_uma_historia__um_-_j )

GOMES, Henriette Ferreira; BOTTENTUIT, Aldinar Martins; OLIVEIRA, Maria Odaisa Espinheiro de. A ética na sociedade, na área da informação e da atuação profissional: o olhar da filosofia, da sociologia, da ciência da informação e da formação e do exercício profissional do bibliotecário no Brasil. Brasília, DF: Conselho Federal de Biblioteconomia, 2009. 192 p. Disponível em: < http://www.cfb.org.br/pop-up/a_etica.pdf >. Acesso em 15 mar. 2016.

GUINCHAT, Claire; MENOU, Michel. Introdução às ciências e técnicas de informação e documentação. Brasília: IBICT, 1994. 540 p. Disponível em: < http://livroaberto.ibict.br/handle/1/1007 >. Acesso em 15 mar. 2016.

JARDIM, José Maria; FONSECA, Maria Odila. Estudos de usuários em arquivos: em busca de um estado da arte. Datagramazero, v. 5, n. 5, out. 2004. Disponível em: < http://www.dgz.org.br/out04/Art_04.htm >. Acesso em: 12 mar. 2015.

LENZI, Lívia Aparecida Ferreira; BRAMBILA, Ednéa Zandonadi. Ciência da Informação, ciência e revolução científica:breve histórico e reflexões. Informação & Informação, v. 11, n. 1, p. 26-37, jul. 2006. ISSN 1981-8920. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/1679>. Acesso em: 31 Mar. 2016. doi:http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2006v11n1p26.

MATTELART, Armand; MATTELART; Michéle. História das teorias da comunicação. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

MOSTAFA, Solange Puntel. Filosofia da diferença e a Ciência da Informação. Rio de Janeiro: e-papers, 2013. (4 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 02 M915f)

NASCIMENTO, Deise Santos do; FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo. Os Caminhos da Ciência da Informação. Biblionline, João Pessoa, v. 10, n. 1, p. 29-38, 2014. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/biblio/article/view/17173/11098 > . Acesso em 12 mar. 2016.

OLIVEIRA, Marlene de (org.). Ciência da informação e biblioteconomia: novos conteúdos e espaços de atuação. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2011. Disponível em: < https://www.passeidireto.com/arquivo/1808924/-ciencia-da-informacao-e-biblioteconomia- >. Acesso em: 15 mar. 2016.

PINHEIRO, Lena V. R.; GONZÁLEZ DE GOMEZ, M. N. Interdiscursos da Ciência da Informação: arte, museu e imagem. Rio de Janeiro: IBICT, 2000. Disponível em: < http://livroaberto.ibict.br/handle/1/443 >. Acesso em: 15 mar. 2016.

ROBREDO, Jaime. Da ciência da informação revisitada aos sistemas humanos de informação. Brasília, DF: Thesaurus Editora: SSRR Informações Consultoria e Projetos Ltda., 2003. (6 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 02 R666d)

ROBREDO, Jaime. Filosofia da Ciência da Informação. In. TOUTAIN, Lídia Maria Batista Brandão (Org.). Para entender a ciência da informação. Salvador: Edufba, 2007. p. 35-74. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/145/1/Para%20entender%20a%20ciencia%20da%20informacao.pdf >. Acesso em: 12 mar. 2016.

RODRIGUES, Georgete Medleg; SIMÃO, João Batista; ANDRADE, Patrícia Simas. Sociedade da informação no Brasil e Portugal: um panorama dos livros verdes. Ciência da Informação, v. 32, n. 3, p. 89-102, set./dez. 2003. Disponível em: < http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/viewArticle/16/9 >. Acesso em: 12 mar. 2016.

RUSSO, Mariza. Fundamentos em biblioteconomia e ciência da informação. Rio de Janeiro: e-papers, 2010. (2 exemplares na Biblioteca Setorial do CED: 02 R969f)
SANTOS, Izabel Lima dos. A informação e suas leis: um paralelo entre o pensamento de Ranganathan e o de Moody e Walsh. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 13, n. 3, p. 469-479, set. 2015. ISSN 1678-765X. Disponível em: <http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8635792>. Acesso em: 31 mar. 2016.

SARACEVIC, Tefko. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996. Disponível em : < http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/235/22 >. Acesso em 12 mar. 2016.

SARACEVIC, Tefko. Interdisciplinarity nature of Information Science. Ciência da Informação, Brasília, v.24, n.1, p.36-41, 1995. Tradução livre de Durval de Lara Filho. Disponível em: < http://www.uff.br/ppgci/editais/saracevicnatureza.pdf >. Acesso em: 18 fev. 2016.

SHANNON, Claude; WEAVER, Warren. Teoria matemática da comunicação. São Paulo: Difel, 1975.

SHERA, Jesse H. Sobre Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação. In: Gomes, Hagar. E. (Org.). Ciência da informação ou informática?. Rio de Janeiro: Calunga, 1980. p. 91-105.

SMIT, Johanna W., TÁLAMO, Maria de Fátima G. M., KOBASHI, Nair Yumiko. A determinação do campo científico da Ciência da Informação: uma abordagem terminológica. DataGramaZero – Revista de Ciência da Informação, v. 5, n. 1, fev. 2004. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev04/Art_03.htm >. Acesso em 18 fev. 2016.

SOUZA, Edivanio Duarte de. A epistemologia interdisciplinar na Ciência da Informação: dos indícios aos efeitos de sentido na consolidação do campo disciplinar. 2011.Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação, Belo Horizonte, 2011. http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/ECID-8P2JNH/epistemologia_interdisciplinar_edivanio.pdf

TAKAHASHI, Tadao. (Org.). Sociedade da Informação no Brasil: Livro Verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000. 231 p. Disponível em: < http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/434/1/Livro%20Verde.pdf >. Acesso em: 12 mar. 2016.

VALENTIM, M. L. (Org.). Atuação profissional na área de informação. São Paulo: Polis, 2004.

WERTHEIN, Jorge. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, Brasilia, v. 29, n. 2, nov. 2000. ISSN 1518-8353. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/889>. Acesso em: 31 mar. 2016. doi:http://dx.doi.org/10.18225/ci.inf..v29i2.889.

WURMAN, Richard Saul. Ansiedade de informação2: um guia para quem comunica e dá instruções. São Paulo: Cultura, 2005. (Número de chamada: 007 W968a exemplares disponíveis na BU/UFSC Central e CED)

ZINS, C. Mapa do conhecimento da ciência da informação implicações para o futuro da área. Brazilian Journal of Information Science, Marília, SP, v.1, n.1, p.3-32, jan./jun. 2007. Disponível em: <http://www.success.co.il/is/bjis-2007.pdf.>. Acesso em: 09 maio 2017

Vídeos sobre Ciência da Informação:
CIÊNCIA da Informação Arquivística e Biblioteconómica – Coimbra. Portugal. Duração 07 min, 28 s. Disponível em: < https://youtu.be/oTEF-hbqsms >. Acesso em: 12 mar. 2016.

CORNEL UNIVERSITY. Information Science Departament. I Am Information Science. Estados Unidos da AméricaDisponível em: < https://youtu.be/QGnpi5IcFLg >.

FREIRE, Isa Maria. Caracterização das ações de informação no Laboratório de Tecnologias Intelectuais - LTi. Rio de Janeiro, RJ: IBICT - Fiocruz, 2012. Duração 21 min, 50 s. Disponível em: < https://youtu.be/uMGCpmIw1Tw >. Acesso em: 12 mar. 2016.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Ciências Sociais Aplicadas: Ciência da Informação:
Arquivologia e biblioteconomia [Unidiversidade]. Duração 23 min, 37 s. Disponível em: <
http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/4524/browse?type=title> e ou < http://www.canal.fiocruz.br/video/index.php?v=arquivologia-e-biblioteconomia >. Acesso em: 12 mar. 2016.

SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos. A Ciência que eu Faço – 1. Direção e produção Vera Pinheiro. Duração 06 min, 55 s. Disponível < https://youtu.be/1jQJUzFB6x0 >. Acesso em: 12 mar. 2016.

SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos. A Ciência que eu Faço – 2: o que é ciência da informação. Direção e Produção Vera Pinheiro. Duração 04 min, 41 s. Disponível < https://youtu.be/ur8AjLQN6O8 >. Acesso em: 12 mar. 2016.

SALA DE VISITA. Dr. José Eduardo Santarem Segundo - O Campo da Ciência da Informação - Parte 1 - PGM 336 Duração 10 min, 34 s. Disponível < https://youtu.be/c0eSyJi8j1c >. Acesso em: 12 mar. 2016.

SALA DE VISITA. Dr. José Eduardo Santarem Segundo - O Campo da Ciência da Informação - Parte 2 - PGM 337 Duração 11 min, 52 s. Disponível < https://youtu.be/JrkOS0vOmb4 >. Acesso em: 12 mar. 2016.

UNIVERSITY OF TORONTO. Faculty of Information http://ischool.utoronto.ca/, Toronto, Ontario, Canada. Library & Information Science - Professor Jenna Hartel. Disponível em: < https://youtu.be/aiQMWdo7VqY>.

8 CRONOGRAMA (previsão para março a julho de 2017)

Data Conteúdo Atividades
06/03 Apresentação da disciplina e da turma
Apresentação da turma, plano de Ensino (PRÉ-TESTE o que é CI?)

BSCED UFSC visita pelos calouros http://portal.bu.ufsc.br/2016/08/04/visita-guiada-pela-bsced-recepcao-aos-calouros/

O contexto histórico, social e contemporâneo da informação e do conhecimento Texto 1. O guardião das fronteiras de George Landow http://moodle.pucrs.br/pluginfile.php/17133/mod_folder/content/0/Materiais/comecando.htm?forcedownload=1

Vídeos: Cursos de Ciência da informação:
Coimbra Portugal https://youtu.be/oTEF-hbqsms ,
Canadá https://youtu.be/aiQMWdo7VqY ,
Estados Unidos da América https://youtu.be/QGnpi5IcFLg ,
Brasil – USP RP https://youtu.be/c0eSyJi8j1c 1 https://youtu.be/JrkOS0vOmb4 2

Leitura para próxima aula: Texto 2. BARRETO, Aldo de Albuquerque. Uma história da ciência da informação Disponível em: https://www.academia.edu/7945972/Uma_hist%C3%B3ria_da_ci%C3%AAncia_da_informa%C3%A7%C3%A3o

Vídeos: Ciências sociais aplicadas: ciência da informação. http://www.canal.fiocruz.br/video/index.php?v=arquivologia-e-biblioteconomia
Mundaneum https://youtu.be/flBcebZ7MCo

13/03 A ciência na modernidade e pós-modernidade

Atividades para realizar durante a semana:
Assistir o filme O jogo da imitação ( Alan Turing ) disponível em https://youtu.be/2rGbCwyzQcU ou https://youtu.be/vEi8ZMbzUfw
Claude Shannon e a Revolução Digital https://youtu.be/W-2ypQLbHgA
Glossário da FCI http://www.fci.unb.br/index.php/glossario.html
Dicionário ODLIS ODLIS: Online Dictionary for Library and Information Science http://www.abc-clio.com/ODLIS/odlis_about.aspx

Pensadores na pós-modernidade
Boaventura de Sousa Santos 2016 https://youtu.be/2jkTx5JoxSQ
Fritjof Capra Físico Ambientalista https://youtu.be/P6-yuMpk6B8
Manuel Castells Sociólogo https://youtu.be/J4UUM2E_yFo
Zygmund Bauman https://youtu.be/LcHTeDNIarU

Inter, Trans e Multidisciplinaridade
Uma ciência pós-moderna nas Ciências Sociais Aplicadas Texto 3. Nascimento e Freire (2014). Os Caminhos da Ciência da Informação
http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/biblio/article/view/17173/11098
Vídeos: Apresentação Isa Freire Historiografia http://slideplayer.com.br/slide/283625/

A ciência que eu faço 1 e 2 Raimundo Nonato Macedo dos Santos: ciência da informação https://youtu.be/ur8AjLQN6O8

20/03 Ciências e técnicas que fundamentam a Ciência da Informação

A informação como eixo central Texto 4. PINHEIRO, Lena V. R.; GONZÁLEZ DE GOMEZ, M. N. Interdiscursos da Ciência da Informação: arte, museu e imagem
Texto 5. Blattmann e Fragoso. O Zapear na informação. p.13-26.
Texto 6. Blattmann e Fragoso.Bibliotecários na sociedade da informação: mudança de rótulos, funções ou habilidades? ou
WERTHEIN, Jorge. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, Brasilio, v. 29, n. 2, nov. 2000. ISSN 1518-8353. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/889>. Acesso em: 31 mar. 2016. doi:http://dx.doi.org/10.18225/ci.inf..v29i2.889.

Terxto 7: CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. O conceito de Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.12, n.1, p.148-207, jan./abr. 2007. Disponível em: < http://bogliolo.eci.ufmg.br/downloads/CAPURRO.pdf >
Conheça Claude Shannon http://tecnologia.terra.com.br/claude-shannon-pai-da-teoria-da-informacao-nascia-ha-97-anos,8121c08e6e65e310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Vídeos: Entrevista com José Santarém 1 e 2
Exercício: localizar revistas da área e uso da BRAPCI

Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e áreas afins

Texto 7b: ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Condições Teóricas Para a Integração Epistemológica da Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia na Ciência da Informação.

Texto 8: SMIT, Johana; TÁLAMO; KOBASHI. A determinação do campo científico da Ciência da Informação: uma abordagem terminológica. DataGramaZero, v. 5, n. 1, fev. 2004. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev04/Art_03.htm >. Acesso em 18 fev. 2016.
Laboratório de informática

Exercícios na Classificação Brasileira de Ocupações http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/downloads.jsf
27/03 Formação profissional na área de informação Texto 9: GUINCHAT e MENOU. A formação profissional. p. 493- Estudar as figuras p. 497 e p. 500 comparar com situação da CBO-MTE. Debater o questionário de verificação p. 501

Texto 10. Blattmann e Fragoso. Emoção em tecnologia da informação e comunicação. p. 55-65.
Orientações para a produção do vídeo e apresentação em seminário Trabalho em equipes. Os alunos produzirão um vídeo de, no máximo, 2 min. com o seguinte tema:

"O que é Ciência da Informação?".
Sugestões:
- O vídeo pode apresentar entrevistas com colegas, profs, outros alunos, familiares, empresários. Pode concluir, com base nas entrevistas e em referência bibliográfica, qual a imagem da CI na sociedade.
- Os alunos podem utilizar referências bibliográficas e simular um debate entre eles mostrando diferentes pontos de vista da CI.

03/04 Teóricos e Pioneiros

Teoria Informacional da Comunicação e Recuperação da Informação

Texto 11. LE COADIC, Y. F. A ciência da informação. 2. ed. rev. atual. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2004. Capt. 5 OU
ALVARES, Lillian; ARAÚJO JÚNIOR, Rogério Henrique de. Marcos históricos da Ciência da Informação: breve cronologia dos pioneiros, das obras clássicas e dos eventos fundamentais.

Texto 12. BUSCH, V. As we may think. Texto com tradução livre em: http://www.uff.br/ppgci/editais/bushmaythink.pdf vídeo sobre o MEMEX https://youtu.be/_qbBpnA-71w

Texto 13. BORKO, Harold. O que e ciência da Informação.
Cibernética - Norbert Wiener https://youtu.be/Pj9mZfFJhok

Textos 14. SARACEVIC, Tefko. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. SANTOS, Izabel Lima dos. A informação e suas leis: um paralelo entre o pensamento de Ranganathan e o de Moody e Walsh

Assitir vídeos : https://youtu.be/FHMTyeQEPyU
Identificar os pioneiros de cada área: Paul Otlet https://youtu.be/qwRN5m64I7Y
Peter Burke https://youtu.be/fvACyQLe0Jc
Rafael Capurro https://youtu.be/DlH3wegjMBU
Armando Malheiro da Silva https://youtu.be/ic5wsAsXqsQ
Eugene Garfield https://youtu.be/2kZ0_5HTYDQ

10/04 Teorias de Representações do conhecimento e seus Paradigmas
Texto 15. LE COADIC, Y. F. A ciência da informação. 2. ed. rev. atual. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2004. Capt. 7

Texto 16. ROBREDO, Jaime. Da ciência da informação revisitada aos sistemas humanos de informação. Brasília, DF: Thesaurus Editora: SSRR Informações Consultoria e Projetos Ltda, 2003. Capt. 1

Explorar o repositório : E-LIS repository for Library and Information Science http://eprints.rclis.org/

17/04 Teoria Sistêmica
Texto 17: Faqueti e Blattmann. O processo de pesquisa e seus vículos. p. 41-53.
Explorar : Portal OASIS.BR http://oasisbr.ibict.br/ BASE https://www.base-search.net/ ARCHIVE INTERNET https://archive.org/index.php

24/04 Gestão Documental
Texto 18: Guinchat e Menou. Introdução p. 19-39.

Texto 19. ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Correntes teóricas da ciência da informação.

Texto 20: RODRIGUES, SIMÃO e ANDRADE. Sociedade da informação no Brasil e Portugal: um panorama dos livros verdes.
http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/viewArticle/16/9
Estudar e comparar os Livro branco: ciência, Tecnologia e Inovação X Livro Verde Sociedade da informação no Brasil
Produção e Comunicação Científica

01 e 08/05 Estudos de Usuários
Texto 21: Guinchat e Menou. Os usuários, p. 481-492. Analisar a figura sobre a classificação dos usuários da informação p. 484
Texto 22: CUNHA, Murilo Bastos da; AMARAL, Sueli Angélica do; DANTAS, Edmundo Brandão. Manual de estudo de usuários da informação. São Paulo: Atlas, 2015. 448 p.
Texto 23: Blattmann, Bernardes, Fragoso e Faqueti. A aprendizagem, a biblioteca e a Internet. p. 27-39
Texto 24. Blattmann, Carvalho, Faqueti e Fragoso. O mau uso da Internet em bibliotecas: um enfoque educacional. p. 83-97
Explorar a estrutura da RNP https://www.rnp.br/ e Rede IPE http://video.rnp.br/portal/video.action?idItem=23963 acesso fontes de informação CAPES

WERTHEIN, Jorge. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 71-77, maio/ago. 2000. ISSN 1518-8353. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/889/924>. Acesso em: 16 out. 2016.
Fluxos, sistemas e redes

Sistemas de Comunicação

15/05 Revisão e Prova

Estrutura dos seminários Avaliação dos conteúdos.
Laboratório: Organização de conteúdos (roteiros), atividades, recursos para apresentação dos seminários e vídeos

23 e 30/05 Apresentação dos vídeos
Apresentação da atividade prática: fluxo da informação SAC
As tecnologias nas ações em Ciência da Informação

Serviços eletrônicos de informação

Orientação e apresentação do roteiro para elaboração do trabalho final.
Trabalho em grupos.
Obs: 10h para preparar o trabalho em sala + 4h para apresentação e discussão.
Roteiro do trabalho a critério da professora.

Sugestões:
Distribuir um tema para cada grupo, para que os alunos pesquisem esse tema em diferentes fontes. O trabalho consistiria em:

1) Realizar a busca nas fontes determinadas pela professora ou à escolha do grupo (Ex: jornal, periódico científico, facebook, buscadores Google, Bing, etc.)

2) Analisar o fluxo/ciclo da informação:

2.1) Descrever brevemente cada fonte: tipo, objetivo, público alvo, tecnologia e alcance geográfico.

2.2) Descrever o processo de busca e recuperação realizado em cada fonte, incluindo as dificuldades.

2.3) Avaliar criticamente as variações de cada fonte na apresentação do tema.

2.4) Discutir, à luz dos conceitos apresentados no capt. 1 do livro do Robredo, a confiabilidade, pertinência, relevância e atualidade da fonte e do conteúdo recuperado.

2.5) Após as apresentações, o item 2.4 poderá ser discutido com o grande grupo.

12 e 19/06 Elaboração do trabalho final com orientação Atividades em sala de aula / LABINFOR para apoio às equipes

Estrutura do documento final: impresso e digital

26/06 Postar no ambiente Moodle: compartilhar a informação

26 e 03/07 Entrega, apresentação e discussão do trabalho final (20%) Apresentação e uso dos formato aberto (ODT) e permanente (PDF/A)

03/07 Devolução dos trabalhos finais e discussão sobre a avaliação das atividades Avaliação: participação de cada membro da equipe e da turma

03/07 Prova de recuperação e encaminhamento das notas finais em sala de aula Pós-teste. Entrega das notas finais CAGR conforme calendário acadêmico.

Observação: as atividades poderão ser alternadas conforme o processo de aprendizagem da turma e adequada ao calendário acadêmico da UFSC. Qualquer alteração será comunicada pelo fórum CAGR da disciplina.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License